Slide


Olá pessoal, tudo bom? Venho presentar para vocês, através dessa entrevista um dos autores de terror e suspense que eu conheci esse ano. Depois que eu assisti a participação dele na live da Soraya Abuchaim, fiquei super curiosa para saber mais sobre os seus trabalhos, comecei a conversar com o autor que foi muito simpático e hoje sou uma das suas parceiras, estou muito feliz com essa entrevista, espero que vocês também gostem.
Biografia: Eu me chamo Jonas Zair, tenho 28 anos e sou casado. Vivo no interior de São Paulo. Adoro o gênero terror e suspense policial, tanto em livros quanto filmes e séries. Também é o gênero que escolhi escrever.

1 – Você é um autor nacional, jovem, os seus livros abordam o terror, mistério e suspense, entre outros. Quais as dificuldades que você percebe para entrar no mercado editorial brasileiro? Já sofreu preconceito?
R: É um mercado que está em uma constante crescente e tem sido muito bom para os jovens autores brasileiros. Infelizmente ainda há um grande preconceito com os nacionais. Muitas pessoas acreditam que a literatura nacional é inferior em comparação com os livros de fora, mas isso não é verdade. Os livros brasileiros possuem uma grande qualidade. Mas aos poucos estamos mudando essa visão dos leitores. Acredito, que hoje a maior dificuldade para entrar no mercado seja conseguir contrato com editoras serias que respeitem os autores. Infelizmente tem ocorrido algumas coisas bem tristes em nosso cenário da literatura envolvendo editoras que fazem um péssimo serviço visando apenas o lucro.

2 – Você já publicou livro de maneira independente e atualmente está publicando pela editora Skull o livro Relatos de Sangue. Como foi conseguir uma editora para publicar o seu livro? O que isso representa para a sua carreira? Como aconteceu todo o processo?
R: Assim que terminei de escrever o livro, fui postando aos poucos na plataforma de leitura gratuita do Wattpad. Lá o livro teve um belo alcance me levando a crer que talvez, uma publicação física seria muito viável. Então mandei os originais para algumas editoras que publicam esse gênero. Fui muito feliz em receber algumas propostas e entre elas estava a da editora Skull, que acabou me convencendo que naquele momento seria a melhor casa para o livro.

3 – Como você consegue conciliar sua vida familiar, trabalho, escrever e fãs?
R: Apesar de uma vida corrida, consigo levar tudo na boa, sempre com muito amor e carinho por todas essas áreas. E meus leitores são muito carinhosos, estou sempre disponível para eles, adoro conversar com todos que me procuram.

4 – Jonas, além do seu amigo e parceiro de trabalho Hugo Renan, para divulgação dos seus trabalhos você tem um perfil no instagram, trabalha em parceria com algumas páginas no facebook, blogs, entre outros. O que essa inserção no mundo digital significa para o seu trabalho? Como os sus parceiros podem ajudar na divulgação dele?
R: Essas parcerias são fundamentais para qualquer autor nos dias atuais. Vivemos na era digital e com isso podemos juntar a famosa frase “A propaganda é alma do negócio”. 
Por mais que o autor seja muito bom e o livro tenha potencial, é impossível fazer com que o material chegue aos leitores sozinho. Então esses parceiros que atuam com blogs, páginas, Igs, não só possuem uma extrema importância, como também prestam um grande serviço à literatura, levando informações importantes aos leitores



5 – Eu sou uma grande fã de livros de terror e suspense, apesar de sempre gostar dos vilões, quando li o seu livro fiquei apaixonada pelo detetive Sully. Como surgiu a ideia de criar um personagem tão interessante como ele? Se espelhou em alguém? Teremos mais aventuras com ele?
R: Eu gosto de criar personagens imperfeitos que são mais próximos de nossa realidade. Sully nem de longe é um homem perfeito como existem em muitas ficções. Ele é grosso, é carrancudo, mas leva no peito um enorme coração e tenta proteger a todos. Ele não gosta de criar laços afetivos, mas ele tem seus motivos, o que ainda não foi revelado nesse livro. Mas o intuito mesmo de sua criação foi trazer um sentimento adverso nos leitores, queria que ao mesmo tempo que odiassem, o admirassem por sua determinação e garra.
Existe sim uma possibilidade de termos novos contos com o Sully sendo o protagonista. Existe também um projeto de uma sequência de Relatos de sangue, mas trazendo um enredo completamente diferente e inovador. Mas quem realmente vai decidir isso será o leitor. Queremos saber se os leitores querem essa sequência.


6 – Como funciona o processo de criação dos seus personagens? Quais as dicas que você daria para os leitores que querem iniciar na vida de escritor?
R: Eu não penso muito para criar meus personagens, são apenas inspirações que surgem e transpasso para o papel. Claro que sempre há influências com pessoas no dia a dia que possuem características que acho interessante, e assim construo um determinado personagem.
Minhas dicas para quem quer iniciar na escrita, são: que leiam muito, leiam todos os gêneros, sempre há o que aprender e absorver em todo o tipo de escrita. Tenha paciência e humildade para ouvir os mais experientes, aceite críticas construtivas, feche os ouvidos para as críticas não fundamentadas, principalmente de quem não entende do assunto. 
Escreva com e por amor, nunca para provar nada a ninguém a não ser você mesmo. Família é importante sim, mas se não te apoiarem, não se aborreça. Não se pode forçar pessoas que não têm hábito de leitura ler o que você escreve. Sempre haverá leitores para os seus escritos, pessoas que realmente gostam de ler, são essas pessoas que você tem que atingir.

7 – Você fez cursos de escrita? (Se sim, quais). Acredita que eles são importantes para melhorar a qualidade do seu trabalho?
R: Nunca fiz, mas acredito que seja muito válido para adquirir conhecimento e experiencia. Tudo o que for agregar a sua escrita, certamente vale a pena.


8 – Como você reage as críticas ao seu trabalho e de que forma influenciaram na continuação dos seus livros?
R: Não tenho problemas com isso. Quando são críticas construtivas que podem me levar a evolução como escritor, absorvo com carinho. Quando são críticas vazias sem base ou fundamento algum, apenas ignoro.

9 – Quais são os seus próximos projetos literários?
R: Eu acabei de assinar um novo contrato com a editora Skull para meu novo livro chamado: O telefonema que não fiz. Ele é um Drama com suspense, e uma pitada de terror psicológico, mas sendo voltado para o realismo. Não há nada de sobrenatural, mas sim um terror que pode acontecer na vida de qualquer um.

10 – O blog está com um projeto que incentiva a leitura e compra de livros nacionais. Indique para os nosso leitores cinco autores que você conhece. 
R: Patrick Correia – Alexandre Braoios – Renata Maggessi – Fernando Luiz - Soraya Abuchaim. Além de colegas e amigos são excelentes escritores nacionais, vale muito a pena conferir suas obras!

Contatos com o autor:
|INSTAGRAM| FANPAGE| SITE|LIVROS|


Por hoje é só pessoal! Espero que tenham gostado. Se tiverem alguma pergunta podem deixar nos comentários.
Beijos e Abraços❤
Compartilhe com os amigos

Comente pelo Facebook!

34 Comentários

  1. Não conhecia o autor, que interessante, espero que ele tenha sucesso no novo livro dele, não que seja um tipo de leitura que me atraia mas desejo sucesso absoluto, espero ver resenha por aqui também. Obrigada pela apresentação.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karine estou muito focada em apresentar para os leitores do blog novos autores nacionais, logo teremos entrevistas e resenhas com autores de outros gêneros também.
      A resenha do livro dele sairá no final do mês.

      Excluir
  2. Que maravilha de entrevista, ótima forma de conhecer novos autores! Pelo pouco que venho acompanhando, o autor vem ganhando mais espaço a cada dia, e isso é ótimo!

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Jonas é um autor muito simpático e acessível aos seus parceiros e leitores, acredito que isso esteja ajudando na divulgação do seu trabalho. Como eu disse no post conheci ele através de uma live, e quando chamei ele para conversar me respondeu muito bem.

      Excluir
  3. O que dizer de um autor que ainda não li, mas considero pakas? hahaha Frases prontas a parte, é verdade isso. Jonas Zair tem sido um autor muito comentado por causa da pegada suspense/terror, e Vivi, eu não poderia estar mais curiosa sobre os livros dele, sobretudo depois dessa entrevista sensacional!

    Um beijo da Yana,
    Marshmallow Com Café

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Yana o Jonas é um autor que está sendo muito comentado pelas redes sociais, o trabalho que ele está fazendo é incrível e as pessoas estão notando isso. Fico feliz que tenha gostado da entrevista, quero trazer novos autores para vocês conhecerem.

      Excluir
  4. Essas entrevistas são incríveis para conhecer novos autores.
    Não o conhecia, mas já me interessei pelo trabalho dele <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu conheci ele ano passado e fiquei encantada!

      Excluir
  5. Infelizmente há muito preconceito com livros nacionais e sinceramente nao entendo isso, antigamente eu fazia parte da massa que nao curtia esse tipo de livro e me arrependo profundamente, precisamos valorizar a nossa literatura! Diferente de voce nao curto tanto suspense e terror mas adorei a entrevista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Day isso é verdade! Existem vários leitores que pensam assim ainda, infelizmente! As vezes, leram um livro nacional "ruim" e agora pensam que todos são assim.

      Excluir
  6. Simmmm queremos excelentes escritores nacionais... Super a fim de conhecer os livros de Jonas. Sucesso.

    Nara Dias Viagens de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Nara! Precisamos de mais autores como o Jonas, ele é incrível.

      Excluir
  7. Oiii Viviane

    A entrevista ficou maravilhosa, não conhecia o autor. É verdade que infelizmente ainda há preconceito com a literatura nacional, mas acho que já está mudando bastante e o quadro está bem mais favoravel do que esteve há alguns anos. Pensa que grandes editoras como a Galera Record, Intrinseca e Harper já estão com autores nacionais em seus catálogos e publicando de maneira bem contínua vários livros made in Brasil. Desejo sorte e muito sucesso ao autor, ele parece ser talentoso e muito simpático.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Alice, eu acho que ainda estamos engatinhando nessa questão! Para mim o problema maior não é as editoras não investirem em autores nacionais, é sim a mente dos leitores/compradores de livros que precisa ser mudada.

      Excluir
  8. Parabéns pela a entrevista. Apesar de Suspende, Terror e Policial não serem meus gêneros favoritos desejo muito sucesso para o autor e que seus trabalhos venham ser devidamente reconhecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado Karol, logo trarei entrevista com outros autores e com gêneros variados.

      Excluir
  9. Olá, tudo bem?
    Primeiramente, parabéns pela entrevista e pela parceria com o autor. Achei as perguntas todas interessantes e pertinentes.
    Eu ainda não conhecia o trabalho dele, mas acredito que seja porque eu não leio muito suspense e terror eu não leio nada mesmo. De qualquer forma, achei interessante conhecer um pouco sobre a trajetória dele e perceber que, mesmo que lentamente, os autores nacionais estão conseguindo ganhar mais espaço.
    Adorei a entrevista e desejo sucesso para o autor.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria, concordo com você! Infelizmente está bem lento o progresso da literatura nacional, mas o Jonas tem contos pequenos de suspense, mistério e romance policial quem sabe você gosta de algum.

      Excluir
  10. Eu ainda não conhecia o autor, mas gostei de conferir a entrevista e das respostas dele. Achei bem interessante ele falar que quando recebe críticas negativas ele as absorve se forem construtivas e ignora se forem vazias, se todos os autores fossem como ele não teríamos tantas tretas no meio literário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Beatriz! Eu já li participei de algumas tretas literárias tão desnecessárias, alguns autores não sabem ouvir a opinião alheia sobre os seus livros.

      Excluir
  11. o que mais gostei da entrevista foi a última pergunta, sobre indicar outros autores nacionais, genial e necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza é muito importante indicar novos autores, eu mesma sempre estou procurando por eles..kk

      Excluir
  12. Olá Vivi! A entrevista com o Jonas ficou incrível, com perguntas bem pertinentes e interessantes sobre a obra e caminha do autor até sua publicação! É sempre muito gostoso poder ler um pouquinho sobre quem escreve os livros que lemos!

    beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Não conhecia o autor, mas gostei muito desse primeiro contato, mesmo ele não escrevendo livros que me atraem. Adorei suas perguntas e as respostas dele. Gosto muito de ver os blogs incentivando a literatura nacional, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, ele é muito simpático mesmo e possui alguns contos escritos, talvez você goste!

      Excluir
  14. Oi Viviane, não conhecia o autor e o que gosto destas entrevistas é justamente a oportunidade de conhecer autores novos, pelo menos para mim.
    Parabéns pela entrevista e sucesso ao autor.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose, fico feliz em ter apresentado mais um autor para você, espero que dê uma chance para os livros dele.

      Excluir
  15. Ola
    Gostei muito da entrevista,è uma ótima maneira ara conhecer a história , assim como quem a escreveu. Li o livro e gostei bastante, Muito sucesso para o autor .
    Parabéns pela entrevista.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber que você já leu o livro dele Jis! Eu também gostei muito da leitura.

      Excluir
  16. Olá não conhecia o autor mais pelos livros que ele escreve não faz parte do meu gênero que leio. Gostei da entrevista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Larissa, eu entendo que poucos leitores gostem de terror e suspense..rs! Logo vou fazer entrevista com outros autores.

      Excluir
  17. Olá Viviane,
    Que entrevista bacana. Fiquei muito contente por saber que, apesar de preconceitos sofridos, o autor conseguiu dar a volta por cima e se reencontrar. Também gosto de saber que ele tem muito amor e carinho por tudo o que faz. Eu só acho que o mercado editorial nacional para o gênero que ele escreve muito restrito e sinto falta de ler mais livros nacionais desse gênero.
    Desejo muito sucesso ao autor.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, concordo quando você fala do mercado editorial nacional, não é difícil apenas, para escritores de terror e sim para todos.

      Excluir