Slide

Olá pessoal, tudo bem?
Hoje quero atualizar vocês, sobre o Projeto 1001 Livros para Ler antes de Morrer que estava bem parado no blog. Eu tenho vários livros da lista para ler mas, não estava sentindo vontade de lê-lo, entendem? As vezes eu olhava para as minhas estantes e ficava pensando: "Não tenho nada para ler, preciso comprar um livro urgente!" e esse sentimento ficou comigo durante alguns meses do ano passado, onde eu consegui ler apenas três livros do projeto. 

Ao contrário do ano passado que não estava animada com as leituras, esse ano estou lendo bastante, a leitura tem sido a minha válvula de escape de toda essa loucura que está acontecendo no mundo. Consegui concluir três livros, e tenho cinco livros programados para ler até dezembro (se vou conseguir, não sei!) onde três deles já foram iniciados. Vou comentar um pouco sobre os livros livros concluídos entre 2019 e o primeiro semestre de 2020, outro dia falo sobre as leituras programadas para o segundo semestre de 2020.

Leituras Concluídas 2019/2020

O Morro dos Ventos Uivantes escrito pela Emily Brontë, foi uma das melhores leituras que fiz ano passado, fiquei surpresa por ter demorado tanto para conhecer a história. Tudo nesse livro foi perfeito para mim, os personagens tem personalidades distintas mas, nem por isso, são totalmente bons ou maus! São pessoas que escolhem fazer coisas boas e coisas ruins, que amam e odeiam, sofrem e machucam.  Fiquei tão empolgada com a escrita dela e curiosa para conhecer outras obras das irmãs, que comprei o livro da Charlotte Bronte  para ler da Editora Pedrazul chamado de "O Professor".

A Volta ao Mundo em 80 Dias escrito pelo Jules Verne, foi outra leitura maravilhosa que fiz ano passado, depois de ficar entediada com os termos técnico do livro "A Viagem ao Centro da Terra", minha segunda experiência com o autor de fez comprar o Box Experiências Extraordinárias, contendo quatro livros dele. Tenho a intenção de ler um livro por ano mas, eu sou uma leitora de épocas, pode ser que eu sinta vontade de lê-lo hoje ou ano que vem. Recomendo que leiam esse livro do Verne, eu consegui rir muito com as viagens do o inglês Phileas Fogg e seu acompanhante, o francês Jean Passepartout  história do protagonista.

O último livro de 2019 foi Alice no País das Maravilhas, comprei aquela edição de luxo publicada pela Dark Side, e tenho que confessar que fiquei decepcionada com a história. Realmente, eu não sei o que estava esperando dessa história, porque consegui perceber as diferenças entre os filmes e o livro mas, senti que todo aquele universo que eu havia imaginado, não existia ou fazia sentido naquela história que eu lia. Eu sei que muitas pessoas amam esse livro e pode ter sido falta de compreensão minha da história, porque foi a primeria vez que li, por isso, guardei o livro para reler daqui há alguns anos.

Orgulho e Preconceito foi a primeira releitura de 2020, precisei fazer uma análise dele para um trabalho da pós-graduação e pretendo postar a resenha ainda durante o BEDA. Essa releitura, deixou o livro ainda mais interessante para mim e consegui perceber outras críticas da autora, na história das irmãs Bennet. Pretendo ler Razão e Sensibilidade, ainda neste semestre. 

Em maio desse ano, fiz a leitura do livro mais diferente que eu já li, ele possui fluxo de consciência e conta as aventuras de Orlando, um homem que se transforma misteriosamente em mulher Orlando Uma Biografia da Virginia Woof, foi uma leitura difícil de ser concluída, precisei de dois meses para assimilar um pouco da história e mesmo assim, os dois últimos capítulos não fizeram sentido nenhum para mim e por causa deles, minha experiência de leitura não foi ótima. Agora, estou encarando Mrs. Dalloway que possui termos complicados, fluxos de consciência da protagonista e de outros personagens.

Então, leitores! Estou encerrando essa primeira atualização mas, logo mostrarei os livros que pretendo ler neste segundo semestre. Agora, quero saber quem aí está participando do Projeto 1001 Livros para Ler Antes de Morrer e quais livros foram concluídos até o momentos.


Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets
Olá pessoal, tudo bem com vocês? 
Em dezembro de 2019, eu fui convidada pelo Carlos para participar de um projeto literário, uma revista literária mensal. Ela se chama Worl Book Review, é digital e tem como objetivo principal a divulgação da literatura, através das plataformas existentes na internet. Eu comecei a publicar meus textos em janeiro, e me sinto honrada por fazer parte de um projeto tão importante, nesta revista abordamos temas literários de uma maneira bem ampla, incluindo: literatura nacional e internacional, indicação de leituras, entrevista com autores, críticas de adaptações cinematográficas.

A minha intenção, é indicar alguns conteúdos que estão sendo abordados, nas edições da revista. Não apresentarei todos, porque desejo muito que vocês leiam tudo que produzimos com todo carinho, apenas, falarei sobre algumas colunas interessantes e que podem aguçar a curiosidade de vocês. Estou começando pela edição de Dezembro de 2019, mês em que a equipe editorial mudou sua organização de conteúdo, equipe editorial, nome da revista e passou a diversificar ainda mais as matérias, adicionando colunas sobre games, mangás, animes, etc.

O mercado editorial para muitos é um sonho, e para nós não poderia ser diferente, é um lugar onde conhecemos pessoas incríveis, tivemos experiências e como toda relação, algumas não tão boas, mas indiferente de qualquer coisa, amamos o que fazemos, com quem fazemos e porque fazemos, e isso por si só para nós é um privilégio. Quando criamos a revista, a ideia é que sempre seria gratuita, levando para as pessoas conhecimento e conteúdo de qualidade e está cheio de gente querendo passar isso para as pessoas, transmitir algo bom e mostrar que neste mundo nem tudo é movido por dinheiro, existem pessoas que ainda acreditam em ideais, que acreditam que deve se fazer algo pelas pessoas pelo simples fato que a vida tem sentido quando fazemos algo para alguém. A revista World Book Review decidiu mudar seguindo este conceito, não se limitar apenas ao mercado editorial, mas também à literatura como um todo, acrescentando Games, Mangá, literatura nacional, internacional, filmes e tudo o que se pode acrescentar de alguma forma a escrita. Então, saibam que nossa revista que está renascendo sob esse conceito, queremos que as pessoas sejam tocadas em suas almas por outras almas, que se apaixonem pelas palavras aqui escritas porque escrevemos com paixão, queremos que as pessoas sejam barcos à vela conduzidos por um vento que nos leve a um lugar maravilhoso que o mundo da literatura pode nos levar.
|Editora: Independente|Ano: 2019|Páginas: 74|

Edição Especial de Natal

O autor homenageado na coluna Raio-x Literário, escrito pela Mirian Marchi (@edpallace) é o Charles Dickens, um romancista inglês que escreveu vários contos e romances durante sua vida, ficou muito conhecido pelo clássico romance David Copperfiel e Um conto de Natal. Nessa edição, vocês irão conhecer mais sobre a vida pessoal, familiar e as obras do autor, sua situação financeira, etc. Eu ainda não tive a oportunidade de ler as obras do autor mas, tenho os dois livros citados na minha estante, aguardando o momento certo para serem lidos. 

A colunista Mirian também realizou uma entrevista interessantíssima com o autor do gênero de suspense Rafael Zimicht, que possui mais de trinta livros escritos ao longo da sua carreira. Em uma entrevista bem humorada, o Rafael responde perguntas sobre sua vida familiar, trabalho e sua carreira como policial e as histórias dos seus livros. Esse mês pretendo resenhar um dos livros do Rafael, para vocês conhecer um pouco sobre a obra dele, que está disponível no Kindle Unlimited.  

O colunista Geovane Gomes (@geovanedossg), escreveu na coluna Livro X Filme uma análise crítica diferenciando o conto João e Maria da adaptação cinematográfica, João e Maria - Caçadores de Bruxas(2013), alertando que em fevereiro de 2020 seria lançado uma nova versão do filme João e Maria - O Conto das Bruxas. Eu assisti ao filme de 2013 algumas vezes, apesar de não ter achado a história da trama inovadora, ele foi bem interessante e agitado mas, não tenho certeza que essa versão de 2020 era desnecessária.

O editor e diagramador da revista Rafael Zimichut (@rafaelzimichut), indicou doze filmes de natal para serem assistidos durante o mês, assim vamos entrando no clima natalino e sentindo toda a empolgação de recebermos nossos familiares e amigos em  casa. Confesso que assisti a todos os filmes indicados várias vezes "esqueceram de mim (1990)" e "Um herói de brinquedo (1996)" são os meus favoritos.

Vou finalizar minhas indicações sobre as colunas da revista, recomendando a leitura atenta do trabalho do Carlos Alberto (@jrchavespessoa) um excelente escritor, que está falando muito bem sobre "Clássicos da Literatura Brasileira" um tema constantemente abordado aqui no blog. 

Além das matérias que eu recomendei, a revista ainda possui outras igualmente interessantes, e eu sinceramente, espero que tenham ficado interessados em conhecê-la. Nos ajude a divulgar nosso trabalho nas redes sociais!

Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá queridos! Vamos conversar sobre financiamento coletivo?
O Projeto Leituras Decoloniais é um projeto que nasce com o intuito de viabilizar produções de conteúdo independente que buscam reflexões sobre assuntos que envolvem sistemas de poder, raça, gênero e sociedade. Para isso, criamos formas de agradecimentos que serão feitos por meio dos ciclos de leituras coletivas. A leitura de livros selecionados será feita com uma curadoria composta por quatro mulheres negras que produzem conteúdo na internet sobre literatura que envolve esses temas. intuito de ser um espaço para aprendizagem em conjunto, um espaço para repensar crenças limitantes. O antirracismo deve ser uma prática contínua.

Este é um projeto que te convida a ler e ouvir as vozes de quem foi historicamente silenciado e aprender com elas, afinal, pensar sobre questões raciais é um ato que não deve ser feito apenas uma vez por ano, em datas específicas, é algo que precisa ser feito frequentemente. Com esse projeto te convidamos à ação. Tendo como curadoras mulheres negras e que estão sempre militando nas redes sociais!


Camilla Dias, tem 37 anos é Assistente Social, Mediadora de leitura e pós-graduada em Docência em Literatura e Humanidades. Produtora de conteúdo independente na rede social Instagram @camillaeseuslivros desde 2015. Participou de palestras, oficinas, mediação e debates, escreveu artigos para revistas literárias virtuais, esteve como júri no "Prêmio São Paulo de Literatura" (2018) literário e como curadora no projeto "Leia para uma criança" (2019) organizado pelo Itaú Social. Atualmente é Mediadora em um dos coletivos "Leia Mulheres" na cidade de Santo André/SP e também no "Projeto Livro Livre" voltado para formação do leitor literário no SESC Santo André.

Isa Souza, é Cientista Social em formação pela Universidade Federal de São Paulo, técnica em Comunicação Visual pela ETEC Carlos de Campos e escrevedora. Co-criadora do instagram literário @blogparenteses, do blog Afrofuturas, do projeto Leia Representatividade e do clube de leitura Mais Sci-fi, um grupo online de ficção científica para mulheres. Integrante do coletivo literário @cladaspretas. Mediadora do Clube de Leitura do Sesc Guarulhos e do clube online de ficção científica para mulheres, o Mais Sci-fi. Em 2019 publicou seu primeiro conto na coletânea Vozes Negras.

Maria Ferreira, é formada em Letras-Espanhol pela Universidade Federal de São Paulo. Criadora do site Impressões de Maria e instagram literário @impressoesdemaria. Integrante do coletivo literário @cladaspretas. Escritora, tem um conto publicado no livro Vozes Negras, lançado em 2019, e também escreve poemas. Lê, divulga e apoia as produções de escritores negros.

Pétala Souza, é Escritora, Pesquisadora de Estéticas Decoloniais e é Designer de Têxtil e Moda pela USP. Co-criadora do instagram literário @blogparenteses, do blog Afrofuturas e do Leia Representatividade, projeto que incentiva reflexões sociais nas análises de representações na literatura. Membra do coletivo de incentivo à literatura negra @cladaspretas. Como escritora, publicou seu primeiro texto aos 10 anos como convidada na coluna de crônicas do extinto Jornal Olho Vivo de Guarulhos, voltando a publicar apenas em 2019 um conto no livro Vozes Negras. É mediadora do Clube de Leitura do Sesc Guarulhos e do Mais Sci-fi, clube online de ficção científica para mulheres.
Após nossa curadoria, apresentamos a obra tema do ciclo de leitura com antecedência para que os participantes possam adquiri-la em tempo e de forma autônoma. Antes de a leitura iniciar, os apoiadores receberão cronograma de leitura personalizado com todas as informações necessárias para o acompanhamento coletivizado e melhor aproveitamento da leitura. Toda a agenda dos encontros para discussão e atividades do laboratório de escrita reflexiva para o do diário de leitura também serão disponibilizadas nessa etapa.

Cada ciclo terá uma duração diferente, variando de acordo com o livro lido e com as atividades reflexivas que serão propostas dentro de cada ciclo. É importante ressaltar que os ciclos não são um produto que estamos vendendo, criamos os Ciclos de Leituras Decoloniais como um agradecimento para aqueles que se dispuserem a apoiar nosso trabalho de produção de conteúdo independente e como meio de juntes, desenvolvermos novos olhares decoloniais e decolonizadores através das leituras.

Com o apoio mensal você assumirá um compromisso individual em prol de uma mudança estrutural, pois além das recompensas descritas você também estará apoiando o trabalho de pesquisa, estudos e produção de conteúdo de mulheres negras.

Vamos apoiar projetos criados por influenciadores negros, divulgar o trabalho de pessoas negras e ajudar como podemos a descontruir a ideia errada, que apenas pessoas brancas fazem ótimos trabalho, produzem o melhor conteúdo. Se você quer saber mais sobre o projeto, entre em contato com as curadoras e siga o instagram do projeto @leiturasdescoloniais, tenho certeza que esse projeto mudará a sua maneira de pensar.


Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets
Olá meus amores, como estão? 
Quero voltar a comentar os livros que estou lendo para o Desafio Lendo Escritores Negros Brasileiros, criado pela Camilla Dias, fiquei alguns meses enrolada para fazer as resenhas mas, continuo participando ativametne do projeto e vou comentar o livro da Categoria 01 - Poesia. Minha relação com as poesias é complicada, ainda na época da escola eu tentava compreender o que elas queriam dizer, e sempre sentia muita dificuldade, parecia que eu não estava assimilando o conteúdo. Com o passar dos anos fui abandonando esse gênero, retornando à ele somente esse ano quando iniciei a leitura de "Desenhos do Tempo" do autor Peter Rossi.

Não farei um resumo do conteúdo do livro mas, sim escreverei minhas experência enquanto realizada a leitura. Apesar de ter lido poesia esse ano, não leio com frequência e ainda sinto dificuldades com algumas poesias. O que chamou a minha atenção em Tudo Nela Brilha e Queima foi a facilidade que tive para compreender o que a Ryane escreveu, fui imaginando as situações, me emocionando e me vendo representada naquelas palavras. Percebi que a poesias escritas por uma mulher negra, para outras mulheres negras são muito diferentes porque mostram a NOSSA realidade nua e crua.
São 192 páginas que contém muitos amores, romances, encontros e desencontros, lutas e vitórias, relacionamentos abusivos, empoderamento e outros temas, relacionados as mulheres negras, por ser o lugar de fala da autora, que mostra a importância do feminismo a cada estrofe. Ryane Leão é uma mulher preta, lésbica que milita pelos direitos das mulheres, seus trabalhos incentivam as mulheres a falaram abertamente sobre todos os assuntos, somos oprimidas e precisamos unir nossas vozes e gritar por liberdade, liberdade de escolha e pensamento.

O livro está lindo e cheio de amor, a editora planeta fez um lindo trabalho nesta edição, com letras bem visíveis, espaçadas e desenhos que exprimem um pouco de cada estrofe, com certeza, merece ser guardado e relido várias vezes, emprestado para amigas, colegas, mulheres que precisam de um incentivo para se empoderarem e lutar. 
Ainda tenho muito que aprender com as poesias, pretendo comprar o segundo livro da Ryane para clarear ainda mais os meus pensamentos e emoções. Espero ter plantado no coração de vocês a vontade de conhecer a escrita crítica, sincera e determinada da autora, dando espaço para o seu trabalho nas suas redes sociais e nas estantes. 
Não deixem de comentar o que estão achando do BEDA.
Sobre a autora: é poeta, professora, cuiabana e atualmente mora em São Paulo. Publica seus escritos em lambe-lambe e na internet com o Projeto Onde Jazz Meu Coração, além disso, escreve em blogs autorais há mais de dez anos e recita seus poemas nos saraus e slams da cidade. Seu trabalho é pautado na resistência das mulheres e focado na luta e no fortalecimento pela arte e pela educação. Obras: "Tudo Nela Brilha e Queima" e "Jamais Peço Desculpas por me Derramar". Leia a entrevista que a autora deu para o site Revista Trip

Acompanhe também:
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets