Slide

Olá meus queridos, como estão?
Hoje é o último dia do B.E.D.A e estou muito feliz! Não imaginava que conseguiria chegar nesse dia com aquele sentimento de missão cumprida, por ter conseguido ser criativa e organizada durante trinta e um dias do mês, consegui aprender muita coisa sobre mim em agosto e como meu cérebro está funcionando na quarentena. 

Confesso que nos primeiros dias eu pensei em desistir do desafio, por vários motivos, entre eles: falta de ânimo, cansaço, estresse e principalmente, falta de organização da minha parte. Comecei o BEDA com apenas quatro postagens prontas e sempre pensando: "Se eu conseguir vencer a primeira semana, as outras serão mais fáceis!" e por incrível que parece aconteceu justamente isso, quando eu deixei de me preocupar com a opinião dos outros e postar aquilo que eu queria, o medo deu lugar ao ânimo e os textos fluíram facilmente. 

Outra coisa que me ajudou muito, foi visitar os blogs que também estavam participando do BEDA e perceber como elas são criativas me deixou ainda mais encorajada. Estou sempre acompanhando algumas criadoras de conteúdo sobre organização e produtividade, o que está fazendo muito bem para os meus planejamentos, aos poucos vou criando hábitos diários de organização.

Lidos do Mês


Agosto foi o primeiro mês da quarentena que li pouco, preferi assistir filmes com meu esposo ou séries, os livros que eu escolhi para ler não estavam me empolgando, por isso, deixei a maioria de lado, concluí apenas dois e deixei Minha História da Michelle Obama em andamento. Para explicar minhas reações com as leituras deixo avisado que não leio sinopses, impressões de leitura ou assisto resenhas antes de iniciar uma leitura, apenas quando termino.
💙O Hobbit está na categoria dos livros que eu gostei mas, não amei e prefiro os filmes com todas as suas modificações. O enredo é muito lento e repetitivo, algumas vezes chegando a ser previsivel demais. Confesso que fiquei surpresa com a facilidade de compreensão que tive do livro, porque sempre me disseram que os livros dele são difíceis, complexos e possuem muitos personagens (o que não deixa de ser verdade) mas, achei ela fluída e muito descritiva.
💙O Projeto Rosie até agora eu não acredito que realizei essa leitura e me apaixonei pelos personagens! Subestimei muito esse livro, foi daqueles que eu peguei achando que seria um romance clichê, sem uma história legal e eu acabaria dando para algum amigo mas, aconteceu justamente o contrário, porque a história é muito interessante, profunda e aborda uma síndrome que eu não havia lido em nenhum romance.


Séries do Mês



Esse mês conheci duas séries interessantes, com investigação policial e muito mistério envolvido, consegui concluir as duas e ainda continuar assistindo os capítulos repetidos de CSI Las Vegas na televisão. Estou procurando assistir séries pelo prime vídeo e globoplay, afinal estou pagando as assinaturas e preciso utilizá-las, néh? 
💙Assédio foi a melhor descoberta que fiz esse ano! Uma produção nacional com elenco incrível e responsável, tenho que destacar a atuação da Adriana Esteves como a vítima Stela, sempre perfeita em cada momento. O Antônio Calloni atua tão bem que fiquei com ódio dele por vários dias, não conseguia desassociar o ator do persoangem mas, passou esse sentimento ruim por ele. A sororidade entre as pacientes foi fundamental para o encerramento do caso e prisão do médico, infelizmente, no Brasil não tem justiça para os ricos. 
💙L. A Finest até agora está decepcionante! As atuações estão muito forçadas, a Jessica Alba não está me convencendo como detetive durona e cheia de mistérios, que resolve tudo na porrada. A Gabrielle Union, ficou melhor no papel de policial fora dos padrões, não está fazendo tudo certinho como esperado. Como assisto várias séries do gênero consegui perceber que muita coisa nessa história foi retirada de outras séries, que eu assisti e amo.

Filmes do Mês


Comecei o mês muito bem, maratonando a Trilogia do Hobbit e sinceramente, amei os filmes! Depois eu fui assisti o filme Feel The Beat recomendado por uma blogueira, que não lembro o nome mas, ela escreveu uma crítica muito chamativa da história, assisti e gostei. Amo os filmes antigos com o Mel Gibson, assisti O Patriota gosto muito da história e para finalizar, eu assisti A Justiceira mais um filme de mulheres "pancadeiras" que estão sendo lançados nesses últimos anos.

Agradeço a todos vocês que me acompanharam durante esse mês, espero que tenham gostado e continuem por aqui. Não esqueçam os comentários, sempre com muito respeito. Beijos e abraços❤
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets
Olá meus queridos, como estão?
Hoje é o penúltimo dia do B.E.D.A e estou muito feliz! Não quero falar sobre livros mas, quero deixar um poema enviado para mim pelo meu marido, na época namorado. Ele me reflete o ano que estamos vivendo, as vezes quando estamos com nossas famílias, esquecemos que a pandemia está ao nosso redor, até que, recebemos a notícia de que um amigo ou conhecido morreu por causa do COVID-19.

Na cidade onde eu moro as pessoas estão morrendo aos montes, enquanto outras pessoas estão se divertindo e fazendo festas em suas casas. Vamos refletir meus amigos, antes de fazemos aglomerações desnecessárias. 

Nem todos os dias terão flores,
Nem todas as manhãs terão sol,
Nem todas as noites luar,
Nem todos os encontros beijos,
Nem todos os momentos sorrisos,
Nem todas as histórias "Felizes para Sempre",

Mais mesmo assim....
Todas os dias acordarão,
Todas as manhãs aparecerão,
Todas as noites chegarão,
Todos os encontros acontecerão,
Todos os momentos existirão, 
Todas as historias acontecerão.

Então....

Viva cada dia como se fosse o único,
Acorde cada manhã como se fosse o último,
Durma todas as noites como se o amanhã não existisse,
Vá a todos os encontros como se fosse o primeiro,
Sobreviva aos momentos ruins...eles passam,
Escreva a sua história da melhor maneira que conseguir, 
pois ela é tudo o que ficará quando vc não mais existir.
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets
Foto do 26º Festival de Inverno de Garanhuns
Olá meus amores, como vocês estão? 
Esse post vai ser bem rápido mas, quero conversar com vocês sobre uma questão que me intriga muito: Por que os brasileiros, desvalorizam tanto as produções nacionais? Sempre que assistimos um filme estrangeiro é comum encontrarmos em alguma cena uma bandeira do país, até mesmo em livros podemos encontrar alguma referência ao país. Bom, vou começar dizendo o motivo desse post: 
"Essa semana assisti uma série nacional chamada "Assédio", fiquei apaixonada pela qualidade da produção e a interpretação dos atores, sempre muito profissionais e realistas. Indiquei ela para algumas pessoas de um grupo que participo, onde temos liberdade para indicar séries, filmes ou livros mas, fiquei surpresa quando a maioria afirmou não assistir ou ler produções nacionais, alegando que não possuem boa qualidade".
Eu sei que não deveria estar julgando as escolhas de ninguém, acontece que sempre tive dificuldade em compreender porque os brasileiros possuem tanta resistência em consumir materiais produzidos aqui no Brasil, porque preferem assistir filmes, séries, livros e comprar objetos gringos do que nacionais, valorizando mais a cultura deles do que a nossa. Não vou negar que gosto muito dos conteúdos estrangeiros, que são fácéis de encontrar na internet (principalmente pirata) mas, o trabalho das produtoras nacionais (estou incluindo filmes, séries, livros, etc.) são muito bons e merecem ser valorizados. Existem trabalhos sérios sendo produzidos no nosso país, mesmo com o governo perseguindo ações culturais, chegando a extinguir o minstério da cultura para tranformá-lo em secretária e querendo taxar o preço dos livros
"O livro é um produto de elite, logo, quem compra pode pagar um preço maior." (Paulo Guedes Ministro da Economia).
Meu propósito com esse post é fazê-los pensar sobre o que estamos vivendo, conversar sobre esse assunto e peço para vocês pensaram nos motivos que levam a não consumirem produtos nacionais. Precisamos começar a valorizar o que é feito no nosso país, a fim de não permitir que outros governos desvalorizem o que fazemos!
 
Quero muito saber as opiniões de vocês, vamos conversar nos comentários!
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá meus amores, como vocês estão? 
Hoje eu venho responder uma TAG Literária criada pela Juliana do canal JotaPluftz. Conhecendo ela através da Aione Simões do canal Minha Vida Literária, que respondeu e me deixou com vontade de responder também, temos gostos literários muito diferentes e acredito que posso recomendar alguns livros interessantes através dela. A Juliana criou a TAG baseando-se no livro "Como um romance" do Daniel Pennac, onde o autor conta suas experiências como professor e leitor de literatura.

1 - O direito de não ler: Um livro que você não quer ler nem que te paguem:
Para essa resposta eu escolhi um gênero: romance erótico. Minha história com ele é antiga, realizei a leitura de vários livros com essa temática mas, não consegui me adaptar e gostar de lê-los. A verdade é que não gosto de livros com histórias românticas, elas não funcionam na literatura para mim, gosto delas nos filmes.

2 - O direito de pular páginas: Um livro que você leu... só o que interessava:
Vários livros! Eu tenho alguns que uso apenas para fazer pesquisa de conteúdo ou para consultar alguma informação, vou indicar dois deles aqui que eu uso com frequência: O Livro da Literatura e Sobre os Escritores. Quero deixar bem claro que não costumo pular páginas dos livros de ficção, apenas aqueles que possuem um conteúdo não ficcional e que utilizo para estudar. 

3 - O direito de não terminar um livro: Um livro que você começou algumas vezes antes de ler inteiro: 
Eu acredito que cada livro possui um momento para ser lido, que não devemos forçar a leitura e que ela precisa ser prazerosa. Eu tenho alguns livros iniciados que ainda não terminei mas, pretendo: Os Miseráveis, Lolita e Reivindicação dos Direitos da Mulher. Gostaria de terminar todos eles esse ano, porém, não irei me iludir ou me precionar a nada, quero ler e aprender com esses livros.

4 - O direito de reler: Um livro que você salvaria no fim do mundo, para reler pela eternidade: 
Nossa, tenho vários livros para salvar, fica difícil escolher apenas um! Eu levaria Os Três Mosqueteiros, porque é um livro grande com amizades verdadeiras, romance, ação e muitas aventuras. É sempre bom, ter uma histórias clássicas para ler e se emocionar durante a leitura.

 5 - O direito de ler qualquer coisa: O livro mais improvável que você já leu e gostou, e que algumas pessoas talvez duvidem que você leu: 
Quando eu estudante do ensino médio realizei a leitura dos livros A Divina Revelação do Inferno e A Divina Revelação do Céu, foram as leituras mais diferentes que eu fiz, fiquei com medo da história do primeiro livro durante dias e não conseguia dormir. O primeiro livro emprestei para uma amiga que nunca mais me devolveu, o segundo ainda tenho na estante mas, acredito que não farei uma releitura.

6 - O direito ao bovarismo (doença textualmente transmisível): Um livro que parecia ótimo! Mas o tempo passou...e você pensou a respeito: 
Relizei duas leituras muito empolgada porque tinha certeza que iria amar os livro mas, quando a história terminou comecei a pensar a respeito e percebi muitos erros de continuação, falhas narrativas e o final foi muito ruim. Os livros são Entre quatro paredes e Vox.

7 - O direito de ler em qualquer lugar: O lugar mais estranho/improvável em que você já leu um livro: 
Eu costumo ler em dois lugares na minha casa: dentro do quarto ou no escritório, porque posso realizar anotações sem ser incomodada por ninguém. Quando eu trabalhava na escola, sempre levava um livro dentro da bolsa para ler no banheiro ou dentro do laboratório

8 - O direito de ler uma frase aqui e outra ali: Um livro que te alimenta com pequenas doses diárias: 
A Bíblia Sagrada, é um livro com muitas frases impactantes e que eu preciso meditar um pouco nela todos os dias. Ler a palavra de Deus alimenta a minha alma e me tranquiliza para viver nesses dias de pandemia que estamos vivendo.

9 - O direito de ler em voz alta: Um livro que você precisou ler em voz alta: 
Eu sempre começo uma leitura em voz alta, porque preciso me concentrar no livro e esquecer todas as interferências externas mas, o primeiro livro da Virgina Worf que eu li esse ano, Orlando Uma Biografia, precisei ler em voz alta a maior parte do tempo. A escrita da Virginia é linda, poética e com muito fluxo de consciência o que me deixava perdida.

10 - O direito de calar: Um livro que te deixou sem palavras, porque era muito bom...ou muito ruim: 
Eu percebo que o maior problema no meio literário, é quando falamos que não gostamos de um livro, por ele ser ruim ou a história não ter funcionado pra gente. Os fãs do autor ou do livro, fazem um "cancelamento geral" da pessoa na internet e por isso, praticamente não escrevo opiniões de livro que eu não gostei. Geralmente, eu faço um comentário sobre ele no resumão do mês. 
O livro de 2019 que não funcionou comigo foi Alice no país das maravilhas, gosto muito das adaptações mas, a história do livro não me deixou tão envolvida como os filmes. Dê 2020 foi Fahrenheint 451, reconheço a importância da história para o momento que estamos vivendo e consegui encontrar similaridades com a vida real mas, não consegui me importar com os personagens e narração é muito lenta para mim, estou deixando eles na estante para reler daqui a alguns anos.

E aí pessoas, o que acharam da TAG? Vocês já responderam ou vão respondê-la? Quero saber as respostas de vocês também.


Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets