Slide


Olá pessoal, como vocês estão? Desde 2013 a Camila Navarro do Canal Viaggiando, começou o Projeto Volta ao Mundo em 198 Livros (Saiba Mais), que eu conheci em 2018 através da TAG Viaggiando, resolvi participar apenas em 2019, quando ela lançou o Desafio Viaggiando utilizando algumas perguntas da TAG, uma forma de incentivar os leitores a conhecerem outros países e participarem do projeto.

O que eu fiz, foi pegar as perguntas da TAG e transformar em um desafio pessoal, onde, vou realizando a leitura desses livros ao longo dos anos e escrevendo a minha opinião aqui no blog. Pretendo ler os 198 livros do projeto? Sim, mas conforme eu for sentindo vontade, sem pressa para concluí-lo. Ano passado, eu consegui realizar a leitura de apenas três livros, por isso, vou continua-lo esse ano. Os livros escolhidos para cada uma das categorias foram:

1 - Um livro de um país que você sonha em conhecer

2 - Um livro estrangeiro que fale do Brasil
R: Não encontrei nenhum livro na minha estante, aceito sugestões.

3 - Um livro censurado em seu país de origem

4 - Um livro que retrate uma religião não-cristã

5 - Um livro sobre uma ditadura 
R: Não consegui escolher o livro, aceito sugestões

6 - Um livro que quebre estereótipos 
R: Não consegui escolher o livro, aceito sugestões

7 - Um livro que retrate a vida de imigrantes

8 - Um livro sobre uma guerra fora da Europa 
R: Essa categoria eu deixei para ler em outro momento. 

9 - Um livro que ainda não foi publicado no Brasil
R: Não encontrei nenhum livro na minha estante, aceito sugestões.

10 - Um livro sobre um genocídio


11 - Um livro sobre o colonialismo

12 - Um livro sobre a escravidão 
R: Escolhi 12 Anos de Escravidão mas, não comprei o livro ainda por isso, aceito sugestões.

13 - Um livro sobre um conflito ainda vigente


14 - Um livro que retrate a situação das mulheres


15 - Um livro de cada continente 
R: Como nessa categoria são vários livros, deixei para lê-los em outro momento.
Como vocês perceberam, não tenho pressa para concluir esse desafio pessoal e aceito sugestões de livros para preencher nas categorias. Minha prioridade é ler o livros que tenho na estante ou no kindle. Conforme, eu for terminando a leitura estarei escrevendo uma resenha do livro, e atualizando o post.

Espero que tenham gostado do projeto e participem também, nada melhor do que conhecer outras culturas através dos livros.
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá meus amores, tudo bem? 
O ano de 2019, foi muito complicado para mim por vários motivos, mas, acredito que as perdas familiares e o aumento na minha carga-horária de trabalho, me deixaram com menos tempo para o BLOG/IG. Eu estava com muita saudade de vir aqui e conversar um pouco com vocês, mas, não sabia por onde começar e o desânimo se apoderou de mim em alguns momentos. Como foi o ano de vocês, me contém? e aproveito para desejar a todos um feliz ano novo, com muita felicidade, prosperidade, saúde e paz na vida de todos vocês!

Se você está aqui a mais tempo, sabe que eu gosto de colocar uma meta anual de leitura, mesmo sabendo que a qualidade vale mais do que a quantidade, sou uma pessoa de exatas, e gosto de chegar ao final do ano e pensar: “consegui bater minha meta de literária” e quando não consigo, sei muito bem onde preciso melhorar no próximo ano. Minha meta de 2019 foi 50 livros, e não consegui cumpri-la, encerrei o ano com 39 livros lidos e 05 em andamento que pretendo concluir até o final de janeiro. Não estou triste por não ter conseguido cumpri a meta, porque, fiz leituras maravilhosas e conheci autores incríveis.

Gosto de anotar várias informações das leituras que faço e, principalmente o formato (físico ou e-book), porque tenho muita dificuldade em realizar leituras por e-books, mas, venho me esforçando bastante para mudar esse quadro, lendo sempre contos e poesias pelo aplicativo Kindle no computador, em 2019: 51,3% das minhas leituras foram e-books e 48,7% foram livros físicos divididos duas categorias: brochura e hardcover. 

Em 2019, eu gostaria de ter lido mais livros escritos por mulheres mas, infelizmente, não consegui realizar esse desafio. Eu fui escolhendo aleatoriamente, aqueles que eu já tinha na estante há anos, sem me importar com o gênero, quando percebi tinha lido mais livros escritos por homens. Foram 66,7% de livros escritos por autores e 33,3 % de livros escritos por autoras. Pretendo focar bastante em autoras mulheres e negras em 2020.

Esse ano adicionei na planilha de informações a nacionalidade. Quero conhecer muitos países através dos livros (sua cultura, idioma, lugares, tradições, etc;) e fiquei muito feliz por ter conhecido 10 países diferentes e ter lido 51,3% de livros nacionais, mesmo a maioria deles sendo contos curtos. Espero conhecer mais países em 2020 e deixar o gráfico ainda amais colorido.

E por último, vamos analisar os gêneros literários que eu li em 2019, consegui dar uma chance para vários gêneros e me permiti odiar e riscar alguns deles da minha lista de próximas leituras, como por exemplo: romance erótico. Como disse antes, consegui ler vários contos nacionais contemporâneos, e amei a maioria, pretendo conhecer novos autores nacionais em 2020.
Suspense, terror e policial são os meus gêneros favoritos! Consegui realizar a leitura de três HQs e comprei algumas para ler. Em 2020 espero conseguir diversificar os gêneros literários, não existe nada melhor do que sair da zona de conforto e abraçar novas ideias.

Então, meus amores essa foi a minha retrospectiva de 2019, o que vocês acharam? Essa planilha é super prática e foi construída pela Bruna Miranda. Me contem aí nós comentários como foi o ano de vocês.
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá meus amores, tudo bem?
Como eu falei para vocês no post de metas, quero ler mais autores e autoras negras esse ano, pelo menos um por mês e, tenho conseguido cumpri-la até agora. Duas coisas que estão me ajudando muito nessa meta, são: ter assinado o kindle unlimited, onde possui vários livros escritos por autores negros, asiáticos, entre outros. E estar acompanhando canais no youtube, que incentivam e indicam a leitura de livros escritos por autores negros. 


Para o mês de março, escolhi o livro "Precisamos de Novos Nomes" por se encaixar, em três categorias das minhas metas pessoais: livro escrito por uma autora negra, livros que a história se passa em outros países e livros de um projeto literário, no caso estou participando do #DesafioLiteraturese2019 e o livro se encaixa na terceira categoria dele. Mas, além de tudo isso a sinopse da história chamou muitíssimo a minha atenção e, vou deixar ela aqui para vocês conhecerem.

Caso não conheça a história, estou deixando a sinopse resumida aqui!
Sinopse: NoViolet Bulawayo nasceu em 1981, no Zimbábue, e fez parte da primeira geração nascida depois da independência oficial do país. Sua infância se passou, portanto, sob um clima de confiança, estabilidade e esperança. Muito diferente do cenário em que vivem Darling, Bastard, Chipo, Godknows, Sbho e Stina, as crianças com nomes peculiares que figuram em Precisamos de novos nomes, seu romance de estreia. Mas é a vida de Darling, a protagonista-narradora, que o romance acompanha. A menina de dez anos que conhecemos em suas brincadeiras no Paraíso, sonha com o dia em que morará na América. Esse dia finalmente chega e Darling terá de enfrentar o frio, a saudade de sua família e de seus amigos e a adaptação nesse país que nunca vai se tornar o seu país de fato, mas que mudará seu sotaque, moldará o olhar do mundo e a afastará, irremediavelmente, de sua terra natal.|Editora:Biblioteca Azul|Páginas: 254| Ano: 2014| Gênero: Bildungsroman, Literatura Estrangeira|*E-book Kindle Unlimited|Nota: ★★★★

Resumo

Essa história é narrada em primeira pessoa, por uma menina negra de 10 anos chamada Darling. Ela e os seus amigos Bastard, Chipo, Godknows, Sbho e Stina moram no Paraíso, um bairro pobre da periferia do Zimbábue. A narração da história é dividida em duas partes: Nos primeiros 50% a Darling (protagonista narradora) conta como é a sua vida em Paraíso, sobre os seus amigos, sua família e todo sofrimento que a população africana está sofrendo. Nos 50% finais, a Darling está na América morando com sua tia Fostalina, até então, não sabemos o motivo da mudança mas, algo grave aconteceu que fez sua mãe mandá-la embora do país.

Com os seus amigos, Darling viveu muitas aventuras enquanto morava na África, mesmo seu avó não gostando nenhum pouco deles. Elas são apresentadas de maneira bem detalhada para os leitores, explicando como eram as brincadeiras, os passeios escondidos no cemitério, os encontros com os apoiadores das ONGs que levam alimentos, roupas e brinquedos para os africanos, as fugas a procura de comida e, principalmente, aquelas que aconteciam no bairro Budapeste, onde roubavam goiabas e outras frutas dos moradores ricos e brancos.
"O que eu não entendo é como esse mesmo dinheiro que eu tenho aos montes não dá para comprar nem um grão de sal é isso que eu não entendo, diz ela, a raiva começando a espumar na sua voz". (Posição 324)
Conforme fui realizando a leitura, percebi que as crianças foram unidas pela fome e tragédias que aconteceram em suas famílias, a principal delas foi a destruição da sua casa pelo governo. A guerra pela independência do país, as mudanças de governos, a morte de pessoas inocentes, o racismo velado e a imigração são apenas algumas das tragédias abordadas claramente durante a história, onde pessoas negras e pobres lutam para viver com o pouco dinheiro que restou.

Minha Opinião


Precisamos de Novos Nomes é um romance de formação, escrito por uma autora que viveu no país (Zimbábue) e sofreu muitas coisas escritas na história, por isso, alguns capítulos transmitem muita tristeza e revolta. Esse é o tipo de livro que, precisamos conversar sobre ele assim que concluímos a história mas, infelizmente eu não encontrei ninguém que já tivesse lido. Confesso, que teve momentos que eu gostaria de parar a leitura, porque tem algumas revelações muito fortes, que me fizeram chorar de tristeza e revolta por tudo que aconteceu. Ainda assim, recomendo a leitura.

Percebi que a Darling, tem muita dificuldade de aceitar a si mesmo. Em vários trechos ela fala como os brancos são mais bonitos, possuem uma pele linda, um cabelo esvoaçante e brilhoso, entre outros elogios. Outras vezes ela compara a beleza da amiga Sbho com a beleza das mulheres brancas, afirmando que qualquer uma delas seria mais bonita que a amiga, mesmo Sbho sendo considerada a garota mais bonita do Paraíso. Sinceramente, eu esperava que a protagonista melhorasse sua opinião em relação a si mesmo porque, ela foi se tornando crítica com o decorrer dos anos,  formando opiniões sobre vários assuntos, considerados tabus ou proibidos para sua idade. 
"Ninguém quer ser um desses trapos de países como o Congo, como a Somália, como o Iraque, como o Sudão, como o Haiti, como o Sri Lanka, nem mesmo este em que vivemos — quem quer ser um lugar terrível de fome e coisas caindo aos pedaços?" (Posição 601) 
Como disse anteriormente, recomendo muito a leitura do livro e acredito que a história irá mudar o pensamento de vários leitores sobre os temas abordados e, como a população local se sente em relação a eles. Infelizmente, o final deixou muito a desejar porque, eu fui criando uma expectativa muito grande no decorrer da leitura. 


Espero que tenham gostado da resenha, deixem os seus comentários. 
Beijos e abraços💜
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá meus amores, tudo bem? Espero que sim.
Faz um tempão que não respondo TAG's literárias mas, prometo melhorar esse ano e, responder uma por mês. Entrei essa no blog Conforto do Livros e, achei as resposta da Diogo muito significativas e resolvi responder também.


1 - Tens um lugar específico na casa para ler?
R: Sim, dependendo do tipo de leitura que estou fazendo. Se for preciso anotar algumas informações para escrever resenha, leio no escritório. Caso não precise de anotações, leio no quarto.

2 - Marcador ou Pedaço de Papel?
R: Marcador com certeza, tenho vários e sempre troco conforme a leitura.

3 - Consegues parar simplesmente de ler ou tem de ser sempre no final de um capítulo ou a um certo número de páginas?
R:  Não gosto de parar a leitura no meio do capítulo mas, algumas vezes é necessário e paro a leitura sem problemas.

4 - Comes ou bebes enquanto lês?
R: Sim, amo tomar chá enquanto leio principalmente, e-books.

5 - Música ou TV enquanto lês?
R: Sim, sempre coloco músicas tocadas ao piano enquanto leio, facilita a minha imersão na história.

6 - Um livro de cada vez ou vários ao mesmo tempo?
R: Vários, atualmente estou lendo quatro livros de gêneros diferentes.

7 - Ler em casa ou em qualquer lugar?
R: Leio em qualquer lugar, sem problemas.

8 - Ler em voz alta ou silenciosamente?
R: Sempre começo uma leitura em voz alta, facilita a compreensão da história e, depois lei silenciosamente.

9 - Lês para a frente e/ou pulas páginas?
R: Não pulo páginas, porque não gosto de spoilers. 

10 - Quebrar a lombada ou mantê-la como nova?
R: Sinceramente, mantê-la nova mas, algumas vezes não dá.

11 - Escreves ou fazes anotações nos livros?
R: Sim, eu faço várias anotações nos meus livros e, atualmente comprei um caderno para fazer os diários de leituras. Nele eu anoto as minhas impressões todos os dias que faço a leitura de algum livro, sempre separado por data.


Eu quero saber as respostas de vocês, me contem tudo nos comentários.
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets