Slide


Olá pessoal, tudo bem ? 
Nós leitores temos várias maneiras literárias néh? Algumas são mais excentricas do que as outras, mas, todas nos ajudam de alguma maneira a continuar mais apaixonados e conectados com os livros. 

1 - Leio ouvindo música: Ano passado assinei o pacote de membros da Pam Gonçalves e comecei a ler com os sprints antigos e novos dela, percebi que a minha relação com a leitura melhorou muito, ficava mais concentrada na história e agora, estou viciada em ler ouvindo lo-fi ou música clássica.

2 - Risco os livros que leio: Eu não tenho problemas em marcar/riscar os livros que leio (desde que sejam os meus) faço anotações ao lado da página, comento as minhas passagens favoritas e marco aquelas frases importantes para mim. Faço isso em todos os livros que tenho certeza que não serão lidos pelo meu esposo, como temos gosto literários diferentes fica fácil separar. 

3 - Leio vários livros por vez: Eu tenho o hábito de ler vários livros por vez, não tenho critérios na hora de escolher as leituras, mas, não gosto de ler gênero repetidos (ex: dois livros de fantasia) para não confundir as histórias.

4 - Eu tive preconceito com livros digitais: Durante muito tempo tive preconceito com a leitura de livros digitais, mesmo sabendo que são mais acessíveis! Eu achava que nunca conseguiria me adaptar a leitura de e-books, mas, hoje tenho uma aparelho kindle e a maior parte dos livros que leio são digitais...kk

5 - Tenho várias Wishlist: Eu tenho mania de anotar todas as indicações de livros que recebo para "olhar depois", só que esse depois demora muito e as minhas listas de desejados estão quilometricas. Costumo salvar as listas de desejados do meus amigos e os livros indicados por blogueiros que eu gosto, por isso, na hora de escolher a próxima compra demora horas...kk.

6 - Participo de Grupos de Leituras: Eu amo grupos de leituras, seja no instagram ou no whatss, sempre estou participando de alguma leitura conjunta. Acontece que na maioria desses grupos eu participo apenas das conversas literárias e não das leituras conjuntas, são poucos grupos que eu me interesso pelos livros escolhidos.

7 - Leitora de fases: Eu tenho fases literárias bem definidas...kakaka! As vezes estou muito leitora e outras vezes estou no mod "Odeio Ler". Sempre começo o ano muito animada com as leituras, entre janeiro e abril consigo manter um ritmo de quatro a cinco livros por mês. Em maio começam as preparações para festas na escola e o meu ritmo cai bastante e só consigo voltar a ler com tranquilidade de setembro para frente.

8 - Não cumpro TBR literárias: Sabe aquelas listas de leituras do mês? Não faço mais, porque não consigo cumpri-las, sempre que coloco um livro na lista de leituras, parece que a minha vontade de lê-lo acaba completamente.

9 - Eu releio meus livros favoritos: É comum ver no instagram leitores dizendo que não fazem releituras de livros, se sentem desconfortaveis relendo um livro com vários outros esperando na estante para serem lidos. Eu não tenho esse problema, pelo menos uma vez por ano releio uma história que marcou a minha vida como leitora, as vezes, acabo não gostando tanto do livro como na primeira vez e tudo bem! Os livros tem momentos certo para serem lidos e impactam nossas vidas de maneiras diferentes.

10 - Faço cursos sobre literatura: Eu não sou formada em letras ou áres afins, escrevo nesse blog as minhas opiniões literárias, baseadas na minha vivência como leitora e na minha experiência com a história. Por isso, decidi fazer uns cursinhos literários para aprender um pouco sobre os gêneros, personagens, narrativas e outras diferenças que existem nas histórias, não tenho vontade de tornar a literatura minha profissão, mas, quero aprender tudo que puder sobre ela.

Por hoje é só pessoal! Quero muito saber quais são as manias literárias de vocês. Vamos conversar nos comentários. Beijos e abraços💜

Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Olá meus pessoal, tudo bem?
Quero conversar com vocês, sobre a minha segunda leitura de 2021 um dos melhores  thrillers estrangeiros que li nos últimos anos, também é o meu primeiro contato com a escrita do Robert Bryndza. Tenho que agradecer minha xará Viviane Dutra do Blog Duas Livreiras pela resenha empolgante e super animada que escreveu ano passado, me deixando muito curiosa e com vontade de ler toda a série. 

Esse é o primeiro livro da série da Detetive Érika Foster, uma investigadora chefe eslovaca em fase de recuperação, da traumática investigação que matou seu esposo e vários policiais ao seu comando, deixando aparente o seu comportamento suícida e imprudente durante todo o caso.
Seus olhos estão arregalados… Seus lábios estão entreabertos… Seu corpo está congelado… Mas ela não é a única. Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato. A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres. Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela.Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes |Gênero: Romance policial, Suspense, Thriller|Ano:2016|Páginas:336|Editora:Gutemberg|E-book do meu Acervo Pessoal Nota:
★★ 
Resumo

A história começa, com um jovem rapaz encontrando o corpo de uma bela jovem debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres. Ela é Andrea Douglas-Brown, filha do empresário Douglas-Brown, um homem muito importante e influente na política londrina, que começa a direcionar a investigação e tenta a todo custo desviar a detetive da verdade sobre a vida da sua vida. 

Para fazer parte da sua equipe Érika escolheu os detetives Moss e Peterson, que apesar de serem muito competentes sempre foram deixados de lado, por serem diferentes dos outros. Moss é lésbica, casada e tem um filho, enquanto, Peterson é um policial negro e sempre relegado a funções menores. Assim que começam a investigar, as dificuldades políticas começam a aparecer e o Superintendente Marsh não está disposto a arricar o seu pescoço e decide acatar todas as imposições do Douglas Brown. 
"- Eu voltei a meus registros antigos. Fiz autópsias em três casos em que as vítimas eram garotas do Leste Europeu, todas com suspeita de terem sido traficadas para o Reino Unido. Encontraram todas as três estupradas e estranguladas, com as mãos amarradas, jogadas na água nos arredores de Londres. Tinham o cabelo arrancado e estavam sem roupa da cintura para baixo."
Enquanto isso, os investigadores continuam descobrindo novas pistas e procurando uma prova que ligue alguém ao assassinato, quando descobrem uma ligação com o assassinato de outras três jovens é associado ao crime da Andrea, as semelhanças entre as mortes é muito grande, que vão da aparência física das jovens até suas nacionalidades. É nesse ponto que o pai de Andrea vai ocultando mais e mais informações sobre sua vida e seus negócios pessoais, com medo da exposição dessas informações por parte da impressa.

Minha Opinião


O livro é narrado em terceira pessoa, acompanhamos a ações da detetive Érika Foster a maior parte do tempo, porém, alguns capítulos são dedicados ao assassino e o seu desejo de matar a detetive Foster. Eu tenho que expressar a minha alegria ao perceber a  quantidade de representatividade cultural e de gênero que o autor colocou no livro, são poucas histórias investigativas que encontramos policias negros, lésbicas, asiáticos e indianos com personalidades diferentes, mesmo sendo "coadjuvantes" tiveram um bom papel no progresso do caso e eu espero que a detetive Moss e o Peterson apareçam nos próximos livros e tenham mais espaço nas histórias.

Durante uma parte da leitura resolvi contar quanto capítuos ele tinha e descobri que são "88 capítulos" em um livro de 336 páginas, achei um pouco desnecessário, mas, ao longo da leitura percebi que os capítulos curtos me deixam mais interessada e com a sensação de estar lendo mais rápido. A escrita do autor também ajudou na minha curiosidade, por ser, muito fluída e frenética precisei intercalar a leitura entre a versão física durante o dia e a digital durante a noite. 

Ao contrário de outros livros thriller a condução da investigação foi bem desenvolvida, detalhando cada passo dos investigadores e revelando as pistas conforme os detetives iam descobrindo, foi nesse ponto que senti falta de mais informações sobre a vida cotidiana da Andrea, poucas coisas são reveladas durante toda a história. Outro ponto bem desenvolvido é o relacionamento policial extremamente tóxico, competitivo, agressivo, machista e preconceituoso onde as policiais femininas e os "diferentes" são constantemente hostilizadas e deixado de lado nas investigações.

Recomendo que vocês leiam o livro e me contem o que acharam! Estou aceitando recomendação de livros de investigação policial, deixem tudo nos comentários. Beijos e abraços💜
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá pessoal, tudo bem ? 
Como está o planejamento de vocês para esse ano? Muitas metas? Eu rascunhei algumas que pretendo cumprir e uma delas é participar das blogagens coletivas dos grupos que participo, porque, não adianta participar do grupo se não interagir com os colegas, néh? Para quem não sabe funciona assim: 
Todos os blogs inscritos escrevem um post inédito a partir de um tema proposto e todos postam todos os dias. O tema de Janeiro é "As Leituras de 2020"
Esse é o segundo post de blogagens coletivas que participo, vamos conversar sobre as melhores leituras que realizei em 2020, foi um ano muito triste, revoltante e com muitos altos e baixos, alguns meses eu estava com muita vontade de ler, devorava as histórias em questão de horas, em outros meses não queria chegar perto dos livros. Foi complicado escolher quais seriam as melhores leituras do ano, foram: 52 livros lidos, 20 gêneros literários, 13 países conhecidos e 48 autores diferentes.

1º Lugar - Herdeiras do Mar (Mary Lynn Bracht)

Ano passado participei de várias lives realizadas no canal da Pam Gonçalves, realizei a leitura de vários livros indicados por ela e "Herdeiras do Mar" foi o mais emocionante deles. Quando comecei a leitura não sabia que o assunto central da história é expor ao mundo uma barbárie que o Japão tentou ocultar durante vários anos, as mulheres de consolo. Durante a Segunda Guerra Mundial o Japão sequestro e estrupou pelo menos 200.000 mil coreanas (de crianças à mulheres) que eram usadas, espancadas e maltratadas pelos soldados japoneses. Não recomendo este livro para todos os leitores porque possui muitos gatilhos e cenas explicitas, cada capítulo é dividido entre momentos do passado e do futuro, contando a história das irmãs Hanna e Emi.

2º Lugar - Cada Forma de Ausência é o Retrato de Uma solidão (Marco Severo)

Eu conheci esse livro através das indicações da Leninha do instagram @euslenesouza, que comentava cada conto após a leitura e me deixou muito interessada, até pegá-lo emprestado no kindle unlimited e me emocionar muito com a história. Marco Severo é autor dos livros com títulos mais lindos que eu já vi. "Cada forma de ausência é o retrato de uma solidão" é o terceiro livro publicado pelo cearense pela @editoramoinhos e foi meu primeiro contato com o autor. Esse livro passou o ano de 2020 inteiro comigo, eu sempre lia e relia os contos e sentia a mesma emoção da primeira leitura, que as vezes eram muita raiva, alegria, tristeza e solidão. O contos que mais me emocionaram foram: "O importante é ter Deus no coração", "Glorinha, de olhos abertos", "Curral" e agora "Noticias populares". Essas quatro histórias me deixaram revoltadas e com muita tristeza em saber como o ser humano pode ser malvado e cruel.
 
3º Lugar - Um lugar Bem Longe Daqui (Delia Owens)


Esse livro foi muito recomendo pelos canais literários ano passado, tanto que fiquei curiosa para lê-lo, mesmo não gostando de livros hypados, como não costumo comprar livros midiatícos, coloquei ele na minha lista de desejos e ganhei de um amigo do Clube 03JL e comecei a ler. Confesso que fiquei confusa começo, porque a história é intercalada entre passado e futuro, então, só vamos descobrir o que realmente está acontecendo depois do capítulo cinco. O livro conta a história da jovem Kya ou "menina do brejo" como é conhecida pelos moradores da cidade, que são críticos e muito preconceituosos com ela, mas, o pior para mim foi descobrir logo no começo que ela foi abandonada por todos os famíliares e mora sozinha durante anos em um barracão no meio do pântano.

4º Lugar - Quarto de Despejo (Carolina Maria de Jesus)


Fiquei interessada nesse livro, depois que assisti a resenha da Tati Feltrin e encaixei ele no Desafio Lendo Escritores Negros Brasileiros, organizado pela Camilla Dias. Esse livro na verdade é o diário da autora que foi organizado pelo jornalista Audálio Dantas, que decidiu deixá-lo com todos os erros ortográficos da autora, para ficar mais realista e pasmem esse livro foi traduzido para 14 idiomas diferentes. Foi muito difícil para mim, concluir a leitura desse diário eu ficava pensando em todas essas situações e como posso ajudar as pessoas que ainda vivem dessa maneira. E é por essas e outras histórias que sempre falo para os meus alunos serem agradecidos por tudo que têm, porque existem no mundo pessoas que passam mais dificuldades do que eles.

5º Lugar - Olhos D'Água (Conceição Evaristo)

Esse livro foi a minha última leitura para o Desafio Lendo Escritores Negros, criado pela Camilla Dias e a minha última leitura de 2020. Eu não imaginava que seria um daqueles livros que deixam os leitores revoltados e emocionados ao mesmo tempo. Essa é uma coletânea composta por 15 contos, que mostram a realidade da vida de milhares de pessoas negras no Brasil e são realidades tristes, cruéis e por vezes ficamos sabendo delas por meio dos rádios, jornais ou canais informáticos. Os temas principais dos contos são:dor, medo, superação, luta, transformação, mostrando como as pessoas negras tentam sobreviver em uma sociedade machista, preconceituosa e de vulnerabilidade social. Apesar de ter concluído a leitura em dezembro de 2020, sinto que precisarei reler esses contos novamente, para não deixar apagar a chama de conscientização que as histórias trouxeram ao meu coração e recomendo que vocês façam o mesmo, leiam e releiam esses contos.
6º Lugar - As Virgens Suicidas (Jeffrey Eugenides)

Esse foi o segundo livro que li através das indicações da Pam Gonçalves durante suas lives de leituras e pelo título eu imaginava que iria descobrir o motivo dos suícidios das cinco irmãs Lisbons, mas isso não aconteceu. Ao contrário, descobri que muitos pais tentando proteger os filhos do mundo, acabam destruindo suas vidas emocionais e eu não esperava que seria bombardeada com tantos acontecimentos emocionantes, logo nas primeiras páginas. Eu não recomendo esse livro para todos os leitores, principalmente, para aqueles que não suportam emoções fortes, porque a história está cheia deles e eu precisei ficar alguns dias longe do livro antes de terminar de lê-lo, estava muito emocionada com o final e as atitudes dos pais, vizinhos e colegas de escola a tudo que aconteceu na família Lisbon.

7º Lugar - O Senhor dos Anéis (J.R.R.Tolkien)

O último livro desta lista é o Senhor dos Anéis, uma das leituras do grupo Lendo Tolkien, organizado pela Janeh Barros através do whatss. Começamos as obras do Tolkien pelo Hobbit e finalizamos o ano lendo O Senhor dos Anéis dividido em três volumes, a minha parte favorita é As Duas Torres, que foi desenvolvido com uma riqueza de detalhes impressionante. Todas as descrição dos personagens, da floresta e as situações que acontecem nesse mundo me deixaram apaixonada para saber mais sobre os Elfos, Anões, Dragões, Magos e tudo que envolve os anéis mágicos. Meus dois personagens favoritos são o Sam Gamgi que teve um crescimento e amadurecimento real durante os capítulos, deixando o medo de lado para salvar o seu mestre todas as vezes que fossem necessárias e o também o Legolas que é o meu personagem favorito dos filmes.

Quero saber quais foram as melhores leituras de vocês! Vamos conversar nos comentários. Beijos e abraços💜

Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá meus pessoal, tudo bem?
Minha meta principal deste ano é resenhar todos os livros que eu ler, ou o maior número de livros possíveis, porque ano passado fui muito negligente com as resenhas, estava sem inspiração para escrever e deixei de comentar histórias incríveis com vocês. Por isso, hoje quero conversar sobre a minha primeira leitura de 2021, O Enterro dos Ossos escrito pela autora carioca Renata Maggessi. Eu estava muito empolgada para voltar a ler histórias de investigação policial, depois de quase um ano e meio investindo em outros gêneros literários, confesso que a minha expectativa estava nas alturas e provavelmente  isso influenciou no resultado final. 
"Um crime do passado. Um jovem advogado em busca da sua identidade. Um policial que precisa desvendar o enigma e um criminoso que prima pela perfeição. Crime, mistério e tensão. O tempo está passando. Você é suficientemente simétrico? "Inteligente e intrigante. A autora soube, com maestria, conduzir a trama a um final surpreendente, como poucos. Ler um livro em que o escritor esbanja talento, despertando emoções no leitor é um presente. É o que definitivamente se espera de uma obra literária." (Valéria Gravino, escritora, membro imortal da Academia de Letras do Brasil) |Gênero: Romance policial, Suspense e Mistério | Ano: 2018 |Páginas: 250 |Editora: Coerência| E-book do meu Acervo Pessoal Nota:★★★ 
Resumo

O livro começa com os irmãos Luísa e Eliseu ainda crianças, passando férias na Zona Oeste do Rio de Janeiro em uma casa próximo à praia, junto com seus pais. Ao começarem a brincar de caça tesouros no quintal, acabam encontrando ossos humanos desencadeando uma série de eventos que fazem os pais chamarem a polícia e não voltarem a passar férias naquela casa, Eliseu também presenteia Luísa com um colar encontrado durante a brincadeira. 

Depois de um lapso temporal, conhecemos os irmãos Luísa e Eliseu adultos com suas famílias, a rotina de trabalho e a vida com o filhos Benjamin (filho de Luísa) e Caio (filho de Eliseu) que são muito amigos e fazem tudo juntos. Em uma noite tranquila os dois jovens com suas namoradas vão fazer uma caminhada na praia e encontrarem o corpo de uma mulher, que muda a rotina tranquila da suas vidas. 
"- A sua filha é perfeita? O que? – Virou -se para ela .A sua filha é simétrica? E perfeita? Tem algo nela que não seja totalmente proporcional? Há alguma coisa que tire a harmonia do rosto ou do corpo?"
O corpo da jovem tem marcas de uma réplica de sua tatuagem, assim como a pinta em seu rosto, é neste ponto da história, que conhecemos os detetives que irão investigar o caso, Hugo Jacomelli e Cristóvão os melhores investigadores da homicídios. Após investigações incansaveis descobrem que o assassino tem como objetivo deixar o corpo das jovens simétrico, o que leva a mídia a chamá-lo de "O Tatuador". 

Minha Opinião

O livro é narrado em terceira pessoa, uma vez que a autora mostra o ponto de vista de vários personagens e contextos diferentes com uma escrita fluída, rápida e instigante deixando o leitor com aquela sensação de "frio na barrigada", para saber quais serão os próximos passos do assassino. É nessa parte que a história começa a me desagradar, porque eu conhecer o assassino, suas motivações para cometer assassinatos tão cruéis, como escolhe suas vítimas e consegue escapar da polícia, entre outros detalhes que os livros de romance policial costuma mostrar aos leitores sobre os criminosos.

A condução da investigação policial me incomodou muito, porque os dois detetives analisam o corpo de uma mulher morta e tem absoluta certeza que é um serial killer! Como assim? Toda investigação de assassinato de mulheres começa pela analise de violência doméstica, depois verificam se não foi latrocínio ou crime sexual. Os jovens que encontram a mulher morta são ouvidos, mandados embora e quando outro corpo de mulher é encontrado eles tem certeza que é o mesmo assassino, detalhe: a polícia não revelou o modus operandi dos assassinatos, os lugares onde os corpos foram encontrados são diferentes e a diferença entre eles é de oito anos, mas, mesmo assim eles afirmam que os assassinatos tem ligação um com o outro.

Para finalizar, eu acreditava que o foco da história seria a investigação dos assassinatos pelos detetives Jacomelli e Cristóvão, ao invés disso, a autora focar nos dramas vividos pelos personagens que são muitos e todos se conhecem, se encontram nos fins de semana para churrascos e para piorar até os detetives se encontram nessas reuniões familiares, para conversar sobre os casos esquecendo das investigações e assassinatos que poderiam estar acontecendo naquele momento. Para mim, toda a história dos crimes ficou "jogada" e tinha muito potencial para ser um ótimo livro de investigação.

Recomendo que vocês leiam a história e me contem o que acharam, quero muito saber a opinião de vocês! Estou aceitando recomendação de livros de investigação policial nacional, deixem tudo nos comentários. Beijos e abraços💜
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets