Slide


Olá meus amores, tudo bem? Espero que sim.
Hoje venho conversar com vocês sobre um livro nacional, de não ficção que li essa semana, gostei muito da escrita da autora e acho importante falarmos sobre o assunto tema: Racismo. Esse post não é publi, apenas estou escrevendo a minha opinião sobre um assunto muito tabu na sociedade brasileira.

O livro é composto por vários artigos escritos pela autora Djamila Ribeiro, como se fossem um compilado de recomendações ou até mesmo um manual para ser lido e relido várias vezes, e tenho a impressão que a cada leitura esse manual irá ampliar a visão leitor sobre o assunto, principalmente, porque vamos acumulando experiências entre as leituras e nos aprofundando no assunto central do livro que é: racismo estrutural. 


Minha Opinião

Os capítulos são curtos, rápido de serem lidos e explicativos quanto a posição política e social da autora, é impossível concluir a leitura e não ficar refletindo sobre tudo que foi exposto e proposto. Sendo dividido didaticamente em dez lições: "Informe-se sobre o racismo", "Enxergue a negritude", "Reconheça os privilégios da branquitude", "Perceba o racismo internalizado em você", "Apoie políticas educacionais afirmativas" , "Transforme seu ambiente de trabalho", "Leia autores negros", "Questione a cultura que você consome", "Conheça seus desejos e seus afetos", "Combata a violência racial" e "Sejamos todos Antirracistas".

Disseram-me que a população negra era passiva e que "aceitou" a escravidão sem resistência.Também me disseram que a princesa Isabel havia sido sua redentora. No entanto, essa era a história contada do ponto de vista dos vencedores, como diz Walter Benjamin. O que não me contaram é que o Quilombo dos Palmares, na serra da Barriga, em alagoas,perdurou por mais de um século, e que se organizaram vários levantes como a reforma da resistência à escravidão, como a Revolta dos Malês e a Revolta da Chibata. (posição 25 ou 4% do livro)
Os capítulos são curtos, rápido de serem lidos e explicativos quanto a posição política e social da autora, é impossível concluir a leitura e não ficar refletindo sobre tudo que foi exposto e proposto. Sendo dividido didaticamente em dez lições: "Informe-se sobre o racismo", "Enxergue a negritude", "Reconheça os privilégios da branquitude", "Perceba o racismo internalizado em você", "Apoie políticas educacionais afirmativas" , "Transforme seu ambiente de trabalho", "Leia autores negros", "Questione a cultura que você consome", "Conheça seus desejos e seus afetos", "Combata a violência racial" e "Sejamos todos Antirracistas".

Dê todas as lições, eu achei algumas mais importantes de serem comentadas neste trabalho do que outras, começando pelo primeiro capítulo chamado “Informe sobre o racismo”, é aquele em que seremos introduzidos no tema, onde serão explicados suas origens e os motivos que levaram a autora a escrever o livro e ainda utilizar artigos de amigos e colegas escritores, para explicar alguns temas. Ela começa afirmando, que todos nós precisamos nos informar sobre a sistema racista que impera no Brasil, mesmo que muitas pessoas influentes afirmam que ele não existe, somente nós pessoas negras sabemos pelas situações humilhantes que já passamos, durante nossos anos de vida. Existem muitas diferenças entre o sistema racista do Brasil e de outros países do mundo mas, não devemos compará-los ou dizer qual é o melhor ou pior, devemos apenas encontrar soluções para acabar com ele, não será fácil porque foram 318 anos de escravidão no Brasil.
O racismo é, portanto, um sistema de opressão que nega direitos, e não um simples ato da vontade de um indivíduo. Reconhecer o caráter estrutural do racismo pode ser paralisante.Afinal, como enfrentar um monstro tão grande? No entanto, não devemos nos intimidar. A prática antirracista é urgente e se dá nas atitudes mais cotidianas. (posição 65 ou 8% do livro)
A quarta lição chamada “Perceba o racismo internalizado em você”, me fez lembrar de várias situações que eu vivi na juventude e até depois de adulto. Nela a autora diz que o racismo é um movimento social, porque o racismo é uma atitude conjunta e não individual. Quando você afirma não ser uma pessoa racista, mas ri quando seu amigo ou seu colega de trabalho faz uma piada racista, você está sendo racista. Se você utiliza frases preconceituosas como: "mercado negro", "ovelha negra", "humor negro" ou "a coisa tá preta" no seu vocabulário diário, você está sendo racista. São esses pequenos detalhes diários que precisamos mudar e incentivar as pessoas ao nosso redor a mudarem também. Precisamos reconhecer o racismo como uma estrutura da nossa sociedade, e estamos inclusos nele, porque é impossível não ser racista vivendo em um sistema racista. 

Acredito que o objetivo da autora ao escrever esse manual tenha sido alcançado, porque ao término da leitura eu fiquei com as lições na cabeça e procurando caminhos, em meio as minhas reflexões para melhorar minhas atitudes.São apresentados também, os textos de alguns autores negros brasileiros que podem esclarecer seus pontos de vistas sobre o racismo estrutural, porque antirracismo é uma luta de todas e todos. Recomendo muito a leitura desse livro e aceito dicas de leituras com o mesmo tema.

Deixe nos comentários suas opiniões sobre o livro e se quiser me indique um livro que tenha gostado de ler essa semana! Beijos e abraços💜 
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá pessoal, tudo bem ? 
Estou tentando voltar a ativa nesse blog, e principalmente com as leituras mas, não tem sido fácil porque, cada dia temos uma notícia ruim e essa situação toda me deixa muito preocupada. Mesmo estando super atrasada, resolvi comentar com vocês quais foram minhas melhores leituras de 2019, aquelas que mais me impactaram e me emocionaram durante o ano.

5º Lugar: Volta ao Mundo em 80 Dias


Em 2017, eu realizei a leitura do livro "Viagem ao Centro da Terra" do mesmo autor, e fiquei muito interessada em conhecer outras obras dele, por isso, comprei o box da zahar, com quatro livros dele. Como janeiro foi um mês tranquilo, consegui realizar a leitura do livro em cinco dias, e fiquei extremametne apaixonada pela escrita do autor, construção dos personagens, desenvolvimento da história e pelo romance que foi construido gradativamente. Esse livro possui uma escrita fluída e personagens cativantes!
Sinopse: Londres, 1872. Ao sentir-se desafiado por seus companheiros de clube, o gentleman inglês PhileasFogg aposta que é capaz de dar a volta ao mundo em apenas 80 dias, arriscando todo o seu dinheiro. Homem misterioso, de poucas palavras e rotina inabalável, Fogg inicia a viagem no mesmo dia, levando consigo apenas seu empregado recém-contratado, o francês Jean Passepartout, e uma bolsa. A volta ao mundo em 80 dias é uma incrível aventura pelos mais diversos locais, culturas e situações. De Londres a Yokohama e de lá para Nova York, passando por Bombaim, Hong Kong, São Francisco e outras cidades, em barcos, trens, elefante e trenó a vela, Verne leva nossos heróis – aos quais se juntarão o inspetor Fix e a deslumbrante Ms. Alda – a enfrentar tempestades marítimas, fanáticos religiosos, sabotagens e ataques de índios e de lobos famintos.. |Autor: Jules Verne|Gênero: Ficção Científica, Aventura| Editora: Zahar| Pág. 240|Comprar|

4º Lugar: Sonhos em Tempos de Guerra


Em janeiro, renovei minha assinatura do Kindle Unlimited, e como uma das primeiras indicações que tive foi "Sonhos em Tempos de Guerra", escrito pelo queniano Ngũgĩ wa Thiong'o, uma das principais vozes da literatura africana contemporânea. É o primeiro volume de uma trilogia de memórias escrita por ele, onde conta como foi a sua vida no período da guerra e depois dela. A escrita do autor é leve, envolvente e muito fluída mesmo, quando os capítulos são extremamente difíceis de ler, fiquei revoltada com os acontecimentos mas, queria continuar lendo para saber o final. 
Sinopse: O escritor nasceu em 1938, em uma região rural do Quênia, durante a ocupação britânica. Seu pai era polígamo e a família, formada por quatro esposas e 24 filhos, era uma comunidade que experimentava as diversas mudanças provocadas pelo colonialismo. Thiong'o mistura brincadeiras infantis e reflexões sobre o cenário político, como o hábito de contar histórias nas cabanas das mulheres de seu pai, a curiosidade de ouvir a experiência de um irmão que participou da Segunda Guerra Mundial, as brincadeiras com os filhos de donos de terra, e como essas relações mudam quando Thiong'o e seus irmãos passam a trabalhar nos campos. Com sutileza, o escritor compõe um cenário em transformação. Os cultivos tradicionais são substituídos pela produção escolhida pelos colonizadores, homens brancos aparecem nas plantações e crianças mestiças começam a nascer, mudando a composição das famílias. Sonhos em tempo de guerra também explora a descoberta da paixão de Thiong'o pelas histórias, pelas palavras e o momento em que ele se dá conta de sua sede de aprender. Frequentar a escola pode ser algo sacrificante, que exige longas caminhadas e impõe a sensação constante de fome, mas que lhe oferece a oportunidade de aprender a ler, o que lhe permite conhecer muitas mais histórias.|Autor Ngũgĩ wa Thiong'o|Gênero: Biografia, Literatura Africana|Editora: Biblioteca AzulPág. 272|Comprar|
 
3º Lugar: O Morro dos Ventos Uivantes


Eu realizei essa leitura, em conjunto com o Christian Assunção, e confesso que fiquei com um pouco de receio no início mas, conforme fui me envolvendo com os personagens, fiquei apaixonada pela história e consegui compreender porque esse livro é um clássicos. Durante grande parte da leitura eu fiquei angustiada por a situação do Heathcliff, porque ele teve uma vida complicada e a obsseção que sentia pela Catherine, acabou por destruir tudo, adorei a históra e principalmente, o final. na vida adulta que eu pensava que melh Essa edição da editora Zahar posui um texto de abertura incrível, algumas imagens dentro da edição e inumeros comentários do tradutor, eu particularmente, amo esses comentários e me ajudaram muito durante a leitura.
Sinopse:Único romance da escritora inglesa Emily Bronte, O morro dos ventos uivantes retrata uma trágica historia de amor e obsessão em que os personagens principais são a obstinada e geniosa Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo, Heathcliff. Grosseiro, humilhado e rejeitado, ele guarda apenas rancor no coração, mas tem com Catherine um relaciona- mento marcado por amor e, ao mesmo tempo, ódio. Essa ligação perdura mesmo com o casamento de Catherine com Edgar Linton.|Autora: Emily Brontë|Gênero: Romance Gótico| Editora: Zahar|Pág. 376|Comprar|
2º Lugar: Leve-me com Você


Esse foi o livro que me fez chorar do início ao fim, porque lembrei de várias situações que aconteceram na minha infância, e me conectei de uma maneira impressionante com a história, os personagens, as aventuras e todas as situações complicadas que acontecem até o final do livro. Por falar em final, eu queria muito que tivesse sido completamente diferente, me senti incomodada com o fato do livro ser tão realista, ninguém deveria passar por essas situações. Resumindo, essa história eu levaria para a vida toda, porque se parece com a minha e me chocou de uma maneira impressionante, leiam!  
Sinopse:August Shroeder é um professor de ciências desacreditado e um alcoólatra em recuperação. Todos os anos, seu destino nas férias de verão é o mesmo: a estrada. Em seu trailer, ele percorre quilômetros e mais quilômetros nas rodovias para visitar os belíssimos parques e reservas naturais. Seu plano era visitar o Parque Nacional Yellowstone com seu filho, Phillip, mas agora não há ninguém no banco do passageiro ― apenas um punhado de cinzas guardado no porta-luvas, em uma garrafa de chá carregada de significado.Quando o trailer quebra, August busca conserto na oficina mais próxima. Mas, além do motor home pronto para seguir viagem, ele sai de lá com dois garotos a tiracolo ― seus novos companheiros nessa road trip ― e a chance de repaginar uma viagem que tinha tudo para ser melancólica e permeada por lembranças doloridas.|Autora:Catherine Ryan Hyde|Gênero: Infanto Juvenil, Romance|Editora: DarkLove| Pág. 336|Comprar|
1º Lugar: A Sombra do Vento


O primeiro lugar da lista, não poderia ser outro livro: A Sombra do Vento e tenho vários motivos para isso mas, vou dizer apenas que nunca realizei a leitura de uma obra tão empolgante, envolvente e cheia de mistérios como essa. Em vários momentos, me peguei pensando: "Como o autor pensou nisso?" ou "De onde veio a ideia para isso?" e me apeguei muito aos personagens, de tal maneira que sentia a dor e o sofrimento deles. Esse ano, vou ler o segundo volume da quadrilogia, e pretendo ler "Marina" também. Sério, pessoal leiam Záfon!
Sinopse: Barcelona, 1945. Daniel Sempere acorda na noite de seu aniversário de onze anos e percebe que já não se lembra do rosto da falecida mãe. Para consolá-lo, o pai leva o menino pela primeira vez ao Cemitério dos Livros Esquecidos. É lá que Daniel descobre A sombra do vento, romance escrito por Julián Carax, que logo se torna seu autor favorito, sua obsessão. No entanto, quando começa a buscar outras obras do escritor, Daniel descobre que alguém anda destruindo sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que Carax já publicou, e que o que tem nas mãos pode muito bem ser o último volume sobrevivente. Junto com seu amigo Fermín, Daniel percorre a cidade, adentrando as ruelas e os segredos mais obscuros de Barcelona. Anos se passam e sua investigação inocente se transforma em uma trama de mistério, magia, loucura e assassinato. E o destino de seu autor favorito de repente parece intimamente conectado ao dele.|Autor: Carlos Ruiz Záfon|Gênero: Romance, Suspense e Mistério|Editora: Penalux| Pág. 464| Comprar|
Por hoje é só meus amores, demorei demais para fazer essa lista e logo vou fazer a de decpções do ano de 2019 ! Vamos conversar nos comentários, aceito dicas de livros, filmes e séries❤
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá pessoal, como vocês estão? Desde 2013 a Camila Navarro do Canal Viaggiando, começou o Projeto Volta ao Mundo em 198 Livros (Saiba Mais), que eu conheci em 2018 através da TAG Viaggiando, resolvi participar apenas em 2019, quando ela lançou o Desafio Viaggiando utilizando algumas perguntas da TAG, uma forma de incentivar os leitores a conhecerem outros países e participarem do projeto.

O que eu fiz, foi pegar as perguntas da TAG e transformar em um desafio pessoal, onde, vou realizando a leitura desses livros ao longo dos anos e escrevendo a minha opinião aqui no blog. Pretendo ler os 198 livros do projeto? Sim, mas conforme eu for sentindo vontade, sem pressa para concluí-lo. Ano passado, eu consegui realizar a leitura de apenas três livros, por isso, vou continua-lo esse ano. Os livros escolhidos para cada uma das categorias foram:

1 - Um livro de um país que você sonha em conhecer

2 - Um livro estrangeiro que fale do Brasil
R: Não encontrei nenhum livro na minha estante, aceito sugestões.

3 - Um livro censurado em seu país de origem

4 - Um livro que retrate uma religião não-cristã

5 - Um livro sobre uma ditadura 
R: Não consegui escolher o livro, aceito sugestões

6 - Um livro que quebre estereótipos 
R: Não consegui escolher o livro, aceito sugestões

7 - Um livro que retrate a vida de imigrantes

8 - Um livro sobre uma guerra fora da Europa 
R: Essa categoria eu deixei para ler em outro momento. 

9 - Um livro que ainda não foi publicado no Brasil
R: Não encontrei nenhum livro na minha estante, aceito sugestões.

10 - Um livro sobre um genocídio


11 - Um livro sobre o colonialismo

12 - Um livro sobre a escravidão 
R: Escolhi 12 Anos de Escravidão mas, não comprei o livro ainda por isso, aceito sugestões.

13 - Um livro sobre um conflito ainda vigente


14 - Um livro que retrate a situação das mulheres


15 - Um livro de cada continente 
R: Como nessa categoria são vários livros, deixei para lê-los em outro momento.
Como vocês perceberam, não tenho pressa para concluir esse desafio pessoal e aceito sugestões de livros para preencher nas categorias. Minha prioridade é ler o livros que tenho na estante ou no kindle. Conforme, eu for terminando a leitura estarei escrevendo uma resenha do livro, e atualizando o post.

Espero que tenham gostado do projeto e participem também, nada melhor do que conhecer outras culturas através dos livros.
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Olá meus amores, tudo bem? 
O ano de 2019, foi muito complicado para mim por vários motivos, mas, acredito que as perdas familiares e o aumento na minha carga-horária de trabalho, me deixaram com menos tempo para o BLOG/IG. Eu estava com muita saudade de vir aqui e conversar um pouco com vocês, mas, não sabia por onde começar e o desânimo se apoderou de mim em alguns momentos. Como foi o ano de vocês, me contém? e aproveito para desejar a todos um feliz ano novo, com muita felicidade, prosperidade, saúde e paz na vida de todos vocês!

Se você está aqui a mais tempo, sabe que eu gosto de colocar uma meta anual de leitura, mesmo sabendo que a qualidade vale mais do que a quantidade, sou uma pessoa de exatas, e gosto de chegar ao final do ano e pensar: “consegui bater minha meta de literária” e quando não consigo, sei muito bem onde preciso melhorar no próximo ano. Minha meta de 2019 foi 50 livros, e não consegui cumpri-la, encerrei o ano com 39 livros lidos e 05 em andamento que pretendo concluir até o final de janeiro. Não estou triste por não ter conseguido cumpri a meta, porque, fiz leituras maravilhosas e conheci autores incríveis.

Gosto de anotar várias informações das leituras que faço e, principalmente o formato (físico ou e-book), porque tenho muita dificuldade em realizar leituras por e-books, mas, venho me esforçando bastante para mudar esse quadro, lendo sempre contos e poesias pelo aplicativo Kindle no computador, em 2019: 51,3% das minhas leituras foram e-books e 48,7% foram livros físicos divididos duas categorias: brochura e hardcover. 

Em 2019, eu gostaria de ter lido mais livros escritos por mulheres mas, infelizmente, não consegui realizar esse desafio. Eu fui escolhendo aleatoriamente, aqueles que eu já tinha na estante há anos, sem me importar com o gênero, quando percebi tinha lido mais livros escritos por homens. Foram 66,7% de livros escritos por autores e 33,3 % de livros escritos por autoras. Pretendo focar bastante em autoras mulheres e negras em 2020.

Esse ano adicionei na planilha de informações a nacionalidade. Quero conhecer muitos países através dos livros (sua cultura, idioma, lugares, tradições, etc;) e fiquei muito feliz por ter conhecido 10 países diferentes e ter lido 51,3% de livros nacionais, mesmo a maioria deles sendo contos curtos. Espero conhecer mais países em 2020 e deixar o gráfico ainda amais colorido.

E por último, vamos analisar os gêneros literários que eu li em 2019, consegui dar uma chance para vários gêneros e me permiti odiar e riscar alguns deles da minha lista de próximas leituras, como por exemplo: romance erótico. Como disse antes, consegui ler vários contos nacionais contemporâneos, e amei a maioria, pretendo conhecer novos autores nacionais em 2020.
Suspense, terror e policial são os meus gêneros favoritos! Consegui realizar a leitura de três HQs e comprei algumas para ler. Em 2020 espero conseguir diversificar os gêneros literários, não existe nada melhor do que sair da zona de conforto e abraçar novas ideias.

Então, meus amores essa foi a minha retrospectiva de 2019, o que vocês acharam? Essa planilha é super prática e foi construída pela Bruna Miranda. Me contem aí nós comentários como foi o ano de vocês.
Leia Mais ►
Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets